Entre em contato conosco - Acesse nosso site

Entre em contato conosco - Acesse nosso site
NUTRY UP- (21) 99386-8660

NOSSOS SERVIÇOS

NOSSOS SERVIÇOS
Manual de Boas Práticas, POPs , Treinamentos

Cartilha da ANVISA- para orientação de Manipuladores de Alimentos

Aproveitamento Integral dos Alimentos

Aproveitamento Integral dos Alimentos
MESA BRASIl

XIII Festival de Cultura e Gastronomia de Tiradentes – 20 a 29 de agosto 2010

sábado, 31 de julho de 2010

Acontecerá de 20 a 29 de agosto em Tiradentes o XIII Festival de Cultura e Gastronomia . Há 13 anos o Festival é um dos maiores eventos do setor de gastronomia no País. Temperado pelo clima de uma das mais belas cidades históricas de Minas Gerais, faz parte do Circuito Brasileiro de Cultura e Gastronomia.

A cidade será o cenário de vários espetáculos culturais e deliciosas atrações, como os Festins, o Fórum Gastronômico, a Cidade da Chef, o Tour Gastronômico, Cursos, Palestras, Show de Teatro e Dança, e os stands empresariais.

Dentro das programações, estão:

Cursos gratuitos, ministrados por chefs renomadas. As inscrições serão feitas na hora.
- Eventos culturais, que aconterão simultanteamente nos lugares abaixo:
- Sesi- Centro Cultural Yves Alves
- Espaço Libertas
- Espaço das Artes
- Espaço Banco do Brasil
- Largo das Forras
- Praça da Rodoviaria

fonte: http://www.culturaegastronomia.com.br/2010/historia.php
acesso em 31 de julho de 2010

Dietas das celebridades: não caia nessa cilada! Quando o assunto é dieta, as famosas são um péssimo exemplo

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Papinha, laxante, suco de limão e até vinagre. Lindas e magras, as famosas são capazes de verdadeiras maluquices para enxugar as medidas. Muitas vezes, o sacrifício tem consequências que vão além das esquisitices. Exemplo: aos 37 anos, Gwyneth Paltrow tem os ossos de uma mulher de 80 anos. A atriz declarou recentemente que sofre de osteopenia, uma doença que consiste na perda da massa óssea e é precursora da osteoporose. Ela seguiu durante 11 anos a dieta macrobiótica, a mesma da sua colega Madonna, que restringe produtos lácteos e carne vermelha, e pode estar por trás do problema por conta da pouca absorção de cálcio.

A dieta de Paltrow não é nem de longe a mais estranha. Em geral, as estrelas usam dietas restritivas e pobres em nutrientes. Veja os truques das celebridades para se manter magérrimas - e suas contra-indicações:

Papinha 

Bad, bad dieta. A cantora e também mulher-espetáculo, Lady Gaga não abusa só nos looks. Sua dieta também tem contornos de absurdo, assim como a cinturinha extremamente esguia que ela vem exibindo. O cardápio consiste no seguinte: papinhas - e só. Em vez de comer o alimento sólido, rezam os tabloides que Gaga só ingere comidinhas de neném. Outra adepta do cardápio é a atriz Jennifer Aniston. O perigo dessa dieta é evidente: "papinhas destinadas ao público infantil, atendem necessidades de uma criança e não deve ser utilizadas como substitutas de uma refeição para adultos", explica a nutricionista Lidiane Martins. Alimentar-se dessa forma traz uma carência de fibras e nutrientes, tendo em vista que os alimentos triturados perdem também boa parte das vitaminas.


Vinagre


Vinagre, milagre. Mais uma dieta trazida do túnel do tempo, a "dieta do vinagre de maçã", famosa na década de 70, ressurgiu por conta da cantora Fergie e da top model Heidi Klum. Funciona assim: antes de comer, elas bebem uma pequena dose de vinagre de maçã, acreditando que o ácido corta a gordura do corpo. O método é contra indicado, pois o vinagre pode acabar totalmente com o apetite, fazendo a pessoa não querer comer absolutamente nada - e adoecer, em vez de emagrecer. Porém, dá para você ser mais esperta que as cantoras e modelos e aproveitar apenas os benefícios do vinagre, utilizando-o para temperar aquela salada que vai servir de entrada às suas refeições. "Não podemos exagerar na dose de vinagre, pois o ácido acético tem a capacidade de agredir as mucosas da parede estomacal, podendo provocar gastrite ou úlcera", diz a nutricionista Lidiane Martins. Um estudo da Universidade de Michigan, nos EUA, sugere que consumir cerca de quatro colheres de chá (20 mililitros) de vinagre também ajuda a regular os níveis de insulina no sangue.
 

Jejum

All the single ladies (com fome!). A cantora Beyoncé Knolwes optou por uma dieta radical durante duas semanas. Ela ficou em jejum nesse tempo, ingerindo apenas suco de limão misturado com pimenta vermelha. À noite, bebe-se apenas um chá laxante e, pela manhã, água com sal. "Ficar de jejum é prejudicial . O importante é comer sempre a cada três horas, independente de sentir fome. Ao comer com frequência, comemos porções menores, sem prejudicar a saúde", aponta a nutricionista Lidiane Martins. Além disso, há o absurdo desse cardápio. Duas semanas - e até menos que isso - à base de limão, pimenta e chás pode comprometer seriamente a sua saúde.


Veja toda a reportagem  no site minha vida


Fonte: Minha Vida
Acesso em 28/07/2010

Quiz: você sabe comer fast food de forma saudável?

Veja reportagem do site minha vida  com a nutricionista  Lidiane Martins da Nutry Up , sobre consumo de fast food  e acesse o quiz no site 


Quiz: você sabe comer fast food de forma saudável?

Descubra se suas escolhas são as melhores para a sua saúde


O consumo em excesso de comida fast food é condenado porque muitas opções são calóricas, ricas em gordura saturada, açúcares, sódio e conservantes, uma turma que provoca um mal danado à saúde do organismo, como doenças cardiovasculares e obesidade. Mas isso não significa que eles estejam proibidos. "De forma isolada o consumo de fast food não faz mal. O que não devemos fazer é substituir as refeições por lanches. Além disso, podemos, atualmente escolher um fast food saudável", explica a nutricionista Lidiane Martins, da consultoria Nutry Up. Quer exemplos? Já reparou que tem até comida japonesa ou buffet exclusivo de saladas entre as opções nas praças de alimentação dos shoppings. Muitas redes já estão preocupadas em oferecer opções que incluam vegetais, frutas, iogurtes e preparações mais leves. E será que você sabe fazer a melhor escolha para a sua alimentação? Responda as perguntas e descubra. 


acesso em 28/07/2010

Distribuidores clandestinos de palmito exploram população carente do Vale do Ribeira

terça-feira, 27 de julho de 2010

 Fonte R7
A lista de irregularidades praticadas pelas quadrilhas que trabalham com palmito ilegal vai de crime contra o meio ambiente até fraudes sanitárias. No Vale do Ribeira, região sul do Estado de São Paulo, os distribuidores clandestinos exploram a população carente.

Os palmiteiros passam de três a quatro dias na mata. Além de palmeiras, eles derrubam outras árvores para montar acampamento e recebem R$ 10 por cada feixe de palmito cortado.

A reportagem flagrou os trabalhadores tomando remédios indicados para animais para aguentar a dor provocada pelo esforço de carregar o palmito dentro do mato.

Assista à reportagem completa:



Fonte : R7 
acesso em 21/7/2010

Tempero pronto: teste mostra até 74% da quantidade diária recomendada de sódio e aditivo químico em excesso


Constatação impulsiona iniciativas pelo controle e pela redução de sal nos alimentos prontos.

Adicionar um tablete ou uma porção de tempero pronto a sua comidinha caseira pode significar a ingestão de 25% a até 74% da quantidade diária de sódio recomendada para uma dieta saudável (de duas mil calorias). O percentual é resultado de um teste feito com 11 caldos de galinha, quatro temperos prontos de alho e sal, e quatro para aves e peixes, realizado pela Pro Teste - Associação Brasileira de Proteção ao Consumidor, que mostra alta concentração da substância. “Já tínhamos ideia de que a quantidade de sódio era alta, mas o percentual encontrado nos assustou. Na média, a concentração de sódio foi de 50%, o que é 
muito. A questão do consumo excessivo de sódio é o desenvolvimento de hipertensão arterial e de doenças secundárias, como as renais e as do aparelho circulatório”, diz Manuela Dias, nutricionista da Pro Teste.
Além do excesso de sódio, o teste mostrou alta concentração de glutamato monossódico. Aditivo químico que realça o sabor, o glutamato chegou a ser encontrado em 658 gramas por quilo, enquanto a legislação europeia limita o uso a 10 gramas por quilo. Em pessoas alérgicas ao produto, o aditivo pode causar a chamada síndrome do restaurante chinês, que tem como sintomas fortes dores de cabeça, vermelhidão e náuseas. “Por ser um aditivo químico, ele também tem sódio na sua composição. Reduzir os índices do aditivo é uma luta antiga. Além disso, trabalhamos com a hipótese de que o uso excessivo de glutamato, algumas vezes, pode estar disfarçando o uso de matérias-primas de baixa qualidade”, diz Manuela, informando que a entidade já fez alerta à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e ao Ministério da Saúde.
RÓTULOS - Nem todas as notícias são más. O levantamento mostra que os rótulos são completos e que não há diferença para mais entre os teores declarados de gorduras total, saturada e trans e de sódio. “Por isso, ler os rótulos é fundamental. Há muito sódio embutido nos alimentos, além do sal que adicionamos à comida. O ideal é optar pelos temperos frescos, afinal não é o sal que dá sabor, ele só salga”, destaca a nutricionista, acrescentando que há um grupo trabalhando com o governo para estudar a redução do consumo de sódio.

FÓRUM DE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL QUER DIMINUIR INGESTÃO DE SAL
 O Fórum de Alimentação Saudável - mantido pelo Ministério da Saúde com a Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (Abia) e participação de vários órgãos públicos e entidades de defesa do consumidor – se reunirá este ano, para traçar um plano de ação e reduzir o consumo de sódio no país. Ainda não há meta oficial, mas técnicos do ministério esperam que a ingestão diária de sal do brasileiro caia de 12g para 6g em dez anos. O consumo diário para uma dieta saudável, recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), é de até 5g por dia. 
 “Mas o processo de redução deve ser gradativo. E o paladar do brasileiro é muito mais salgado do que doce, por questões culturais”, afirma Patrícia Gentil, consultora técnica do Ministério da Saúde, lembrando que, de 2006 para 2009, saltou de 21,8% para 24,4% o número de brasileiros que se diziam hipertensos.
 POTINHO DE CALDO SAI DO AR –  A Pro Teste entrou com representação no Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) pedindo a retirada do ar a propaganda do Potinho de Caldo Knorr. Segundo Maria Inês Dolci, coordenadora da entidade, o comercial induz o consumidor a pensar que o produto é natural: “A propaganda é enganosa, já que um produto natural não pode ter realçadores de sabor, espessantes, aromatizantes, acidulantes e corantes, como consta na composição desse caldo”.
O Conar informou que a manifestação da Pro Teste foi incluída na representação 198, feita anteriormente por um consumidor. O processo deve ser julgado até o início de agosto. A Unilever, do Potinho de Caldo Knorr, informa que já recebeu a representação da Pro Teste ao Conar e disse que apresentará sua defesa dentro dos prazos legais.
 USO DE GLUTAMATO – Sobre o uso do glutamato em temperos prontos no Brasil, a Anvisa esclarece que usa como referência avaliação toxicológica do Joint FAO/WHO Expert Committee on Food Additives, comitê técnico científico que assessora o Codex Alimentarius da Organização das Nações Unidas. Este comitê é quem define, em mg/kg, a ingestão diária aceitável dos aditivos. No caso do glutamato, não há limite estabelecido. Por isso, no Brasil, "o aditivo pode ser utilizado segundo as Boas Práticas de Fabricação, ou seja, com limite quantum satis (quantidade suficiente para obter o efeito tecnológico desejado)." A agência diz ainda que, apesar de algumas pessoas relatarem sensibilidade ao glutamato, estudos científicos não mostraram relação entre a ingestão do aditivo e as reações adversas.
 Em relação ao sódio, a Anvisa destaca que, pela resolução RDC 360/2003, é obrigatória a declaração da quantidade de sódio nos rótulos. Para a agência, "os consumidores podem ter acesso a informações relativas à quantidade de sódio em alimentos e optar por alimentos mais saudáveis".



Fonte: Conselho regional de Nutrição 4 ( CRN4) - O Globo On Line
acesso em 27/07/2010

Fim da restrição da propaganda de alimentos calóricos

sábado, 24 de julho de 2010

Fonte: Agência Brasil
Equipe Malagueta  -- Tags: Econômia e Negócios
Publicado em 21 julho 2010 acesso  em 24 de julho de 2010

A pressão do setor publicitário sobre a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) deu certo. Atendendo a representação do Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar), a Advocacia-Geral da União (AGU) recomendou que a Anvisa suspenda as novas regras para a publicidade em alimentos. Por hora, os efeitos da determinação da Anvisa devem permanecer interrompidos enquanto a AGU não toma uma decisão final. A intenção do órgão é analisar a competência da Vigilância Sanitária no caso, já que a resolução da entidade recai diretamente sobre o mercado publicitário - que já conta com órgãos próprios de regulamentação.

rotulo.jpgO caso surgiu no dia 29 de junho, quando saiu no Diário Oficial da União uma determinação da Anvisa que aplica novas regras para a publicidade de alimentos e bebidas. De acordo com o texto, as peças publicitárias de produtos com alta quantidade de açúcar, gordura trans, saturada e sódio devem vir acompanhadas de alertas sobre os riscos à saúde causados pelo consumo excessivo dessas substâncias.

A medida causou descontentamento dos setores envolvidos, que tinham seis meses para se adaptar à regra. E a Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação (Abia) informou, em nota, que iria recorrer à Justiça, sob o argumento de que a determinação apresenta “impropriedades constitucionais e técnicas”. Uma delas, segundo a Abia, é de que alimentos e bebidas não alcoólicas não integram a lista de produtos que devem ter advertência definida pela Constituição Federal - que inclui tabaco, remédios e agrotóxicos.

Na semana seguinte à publicação da norma, foi a vez do setor publicitário se pronunciar contra ela. Em nota publicada na edição de 7 de julho dos principais jornais do país, entidades como ABA - Associação Brasileira dos Anunciantes, Abap - Associação Brasileira das Agências de Propaganda e Abert - Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão reclamavam da intromissão da Anvisa no mercado publicitário, o que, segundo o comunicado, faz o órgão “exorbitar sua competência”.

Você Sabia? Sistema digestório - parte 1

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Segue abaixo a primeira parte de um grupo de videos que colocarei no blog , este inicia explicando o funcionamento do sistema digestório desde o desejo pelo alimento até a chegado do mesmo até o estômago


ANVISA: Ingrediente contaminado por salmonela não circula no Brasil

Segue abaixo  reportagem da ANVISA publicada ontem ( 21/07/2010) controle de qualidade da salmonela.

" A proteína vegetal hidrolisada fabricada pela empresa norte-americana Basic Food Flavors Inc e contaminada por salmonela não circula no mercado brasileiro. É o que indica investigação realizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), após tomar conhecimento da contaminação do referido ingrediente no mercado estadunidense.

A Proteína vegetal hidrolisada é um ingrediente utilizado para realçar o sabor de produtos como molhos, sopas, salgadinhos, alimentos à base de soja e comidas congeladas. Após saber da contaminação, a empresa Basic Food Flavors Inc. realizou recolhimento voluntário, no mercado norte americano, de toda proteína vegetal hidrolisada em pó e em pasta fabricada a partir de 17 de setembro de 2009.

Alguns alimentos que continham o ingrediente e que não foram submetidos a processo de cozimento durante a fabricação ou que não seriam cozidos, posteriormente, pelos consumidores também foram incluídos no recolhimento. O Food and Drug Administration (FDA), organismo de controle sanitário de alimentos nos Estados Unidos, afirma que não há registro de casos de salmonelose em humanos associados a esta contaminação.

A salmonelose é uma infecção alimentar causada pela bactéria salmonela, encontrada principalmente em alimentos de origem animal, como ovos, leite e carnes. Os sintomas mais comuns da doença incluem dores abdominais, diarréia, calafrios, náusea e vômito.

Investigação

No Brasil, a Anvisa teve conhecimento do caso por meio de consulta de rotina ao site do FDA. A partir daí, diversas medidas foram adotadas pelo Sistema Nacional de Vigilância Sanitária (SNVS) para verificar a possibilidade de circulação do produto contaminado no país.

A primeira ação foi identificar se a proteína vegetal hidrolisada da empresa Basic Food Flavors havia entrado no Brasil. A Anvisa verificou que, após o recolhimento do produto no mercado norte americano, o ingrediente foi importado para o nosso país por duas empresas: Bertin SA e IFF Essências e Fragrâncias Ltda.

Em seguida, a Agência solicitou que o Centro de Vigilância Sanitária de São Paulo (CVS/SP) realizasse inspeção sanitária nas duas empresas, localizadas no referido estado. O objetivo era verificar especificações da carga importada com suspeita de contaminação, checar se a matéria-prima importada foi utilizada e para quais produtos e averiguar se o controle de qualidade da empresa detectou contaminação por salmonela na matéria-prima importada ou no produto final.

Além disso, a inspeção checou se havia matéria-prima importada disponível no estabelecimento e em qual quantidade. As empresas também foram questionadas se receberam informação do fornecedor norte-americano sobre o recolhimento e, em caso positivo, quais foram às ações adotadas aqui no Brasil.

IFF Essências e Frangrâncias Ltda

Na empresa IFF Essências e Fragrâncias Ltda, a inspeção verificou que a matéria-prima importada encontrava-se segregada para descarte. A embalagem estava com lacre original do fornecedor e só foi aberta pela Vigilância Sanitária e posteriormente lacrada pela própria Vigilância Sanitária.

A Vigilância Sanitária coletou amostras do produto para análise fiscal e interditou o restante, aproximadamente 23,8kg. A empresa informou que foi comunicada pelo fornecedor do risco da contaminação e rejeitou o ingrediente no ato do recebimento do produto.

A IFF Essências e Frangrâncias Ltda afirmou, ainda, que realizou uma única importação de proteína vegetal hidrolisada fabricada pela empresa Basic Food Flavors Inc., após a data de recolhimento. De acordo com a empresa, não houve utilização da matéria-prima importada com suspeita de contaminação no processo de fabricação.

Bertin SA

Já a empresa Bertin SA informou para a Vigilância Sanitária que não foram detectados desvios nos padrões microbiológicos da matéria-prima conforme laudos enviados pelo fornecedor. Outro ponto destacado pela empresa foi o de que o ingrediente é utilizado na etapa de emulsificação do produto. Posteriormente, há a etapa de processo térmico (mínimo 1 hora acima de 72ºC), que elimina possível contaminação por samonela nos alimentos.

O Controle de Qualidade da empresa efetua a análise microbiológica de todos os lotes de matérias-primas utilizadas e o recebimento e a liberação de uso no processo produtivo ocorre somente após a comprovação da conformidade dos resultados em relação aos padrões exigidos. Não houve detecção de salmonela em nenhum dos lotes de proteína vegetal hidrolisada recebidos pela empresa.

Os produtos acabados ainda são analisados por lote e data de fabricação e a expedição e liberação do produto para o mercado ocorrem somente após o resultado de conformidade do produto. A Bertin SA informou que não houve detecção de salmonela em nenhum dos produtos acabados envolvidos.

A Anvisa continuará a monitorar o caso e, se necessário, tomará novas ações sanitárias para proteger a saúde da população. Informações completas sobre o caso e as ações de controle sanitário adotadas pela Anvisa podem ser encontradas no Informe Técnico 42/2010."


FONTE :Danilo Molina - Imprensa/Anvisa- Portal ANVISA
Acesso em 22/07/2010

Palestra Gratuita no Barra Garden : Aprenda a escolher opções saudáveis e manter o peso comendo fora de casa

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Slide 1
Dia : 23/07/2010
Público – alvo: Livre 
Local: Sala Garden 
Horário:17:30 às 19h  
Barra Garden fica na  Av. das Américas 3255 - Barra da Tijuca - Rio de Janeiro
Palestrante:  Nutricionista Lidiane Martins *
* Diretora da Nutry Up
Mestranda em Educação e saúde na FIOCRUZ
 Professora convidada do SENAC Rio Gastronomia
Consultora em Restaurantes Comerciais
Personal Diet e Chef   
  
Apoio:







C’est Si Bon 2010 - Festival de Cultura Francesa no Brasil

sábado, 10 de julho de 2010

 Bate- panela é o tema do  Festival de Cultura Francesa no Brasil, C’est Si Bon 2010   entre os dias 14 a 18 de julho no Forte de Copacabana, Rio de Janeiro. Pela quarta vez no Rio de Janeiro criado para celebrar a cultura francesa em nossas praias .

Evento terá atrações diversas e destaques de Restaurantes de  Gastronomia Francesa do Rio de Janeiro com profissionais Renomados e Restaurantes como Salitre, Terezé, Traiteurs de France, Brasserie Rosario, La Cigale, Bistro Montagu entre outros .

Quando: 14 a 18/07/2010

Horário: 10h às 0:00h.

Entrada: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia)

Estacionamento: R$ 3,00

Local: Alameda Octávio Corrêa, no Forte de Copacabana


Site Oficial: http://www.bocaboca.agencial.com.br/cestsibon/

Programação:

Quarta- feira 14 de julho

14h00 - CanCan - Dança

14h30 - Tambores do Rei

15h00 - Jiddu - Mímica

16h00 - Mauricio Baduh - Músicas de Aznavour

16h30 - CanCan - Dança

17h00 - Jiddu - Mímica

17h30 - Lalá - Chico em Francês

18h00 - Jazz dos Bombeiros

18h30 - Discurso do Consul

19h00 - Baile dos Bombeiros

20h30 - Feira Livre - Samba-swing

21h30 - Tambores e CanCan - Dança

*horários e artistas sujeitos a alterações

Quinta-feira 15 de julho

14h00 - CanCan - Dança

14h30 - Tambores do Rei

15h00 - Jiddu - Mímica

16h00 - CanCan - Dança

16h30 - Tambores do Rei

17h00 - Jiddu - Mímica

17h30 - Michel Tasky - Clássicos Franceses

18h30 - CanCan - Dança

19h00 - Suite - Música Popular Francesa

20h00 - Jiddu - Mímica

20h30 - Bernard Finnes - Música

21h30 - Tambores e CanCan - Dança

*horários e artistas sujeitos alterações

Sexta-feira 16 de julho

14h00 - CanCan - Dança

14h30 - Tambores do Rei

15h00 - Jiddu - Mímica

16h00 - CanCan - Dança

16h30 - Tambores do Rei

17h00 - Jiddu - Mímica

17h30 - Andréa Dutra Quarteto

18h00 - CanCan - Dança

18h30 - Tambores do Rei

19h00 - Suite - Música Popular Francesa

20h00 - Jiddu - Mímica

20h30 - Michel Tasky - Clássicos Franceses

21h30 - Tambores e CanCan - Dança

*horários e artistas sujeitos alterações

Sábado 17 de julho

14h00 - CanCan - Dança

14h30 - Tambores do Rei

15h00 - Jiddu - Mímica

16h00 - Mauricio Baduh - Músicas de Aznavour

16h30 - CanCan - Dança

17h00 - Michel Tasky - Clássicos Franceses

18h00 - CanCan - Dança

19h00 - Oui Oui... A França é aqui!

19h30 - Jiddu - Mímica

20h00 - Tambores do Rei

20h30 - Feira Livre - Samba-swing

21h30 - Tambores e CanCan - Dança

*horários e artistas sujeitos a alterações

Domingo 18 de julho

14h00 - CanCan - Dança

14h30 - Tambores do Rei

15h00 - Jiddu - Mímica

15h30 - Mauricio Baduh - Música de Aznavour

16h00 - CanCan - Dança

16h30 - Tambores do Rei

17h00 - Jiddu - Mímica

17h30 - Michel Tasky - Clássicos Franceses

18h00 - CanCan - Dança

18h30 - Andréa Dutra Quarteto - Música

19h00 - Jiddu - Mímica

19h30 - Bernard Fines - Música

21h00 - Tambores e CanCan - Dança

*horários e artistas sujeitos a alterações

PROBIÓTICOS - MITOS E VERDADES

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Segue reportagem do site da Danone sobre o Simpósio Interativo da Danone com o tema “Probióticos: Mitos e Verdades”, que aconteceu no CONBRAN 2010- Joinville ,  e estive presente .

Dentro deste tema, foram levantados tópicos para o público votar em MITO ou VERDADE sobre próbioticos:

- Probióticos podem também ser chamados de prebióticos?
 
Mito. Prebióticos e probióticos são diferentes. Probióticos são micro-organismos vivos que, quando administrados em quantidades adequadas, conferem benefícios à saúde do indivíduo. Já os prebióticos são alguns tipos de fibras que servem como substrato para fermentação dos probióticos no trato gastrintestinal. Prebióticos são importantes para que os probióticos possam crescer e se desenvolver, para conferir os benefícios ao nosso organismo.

- Todas as bactérias que não causam doenças aos seres humanos podem ser probióticos?
 
Mito. Não existem apenas bactérias patogênicas que causam doenças, ou probióticos. Existem outras classes de bactérias no meio ambiente e na microbiota intestinal que não tem exatamente uma função definida. Além disso, existem algumas premissas para a bactéria ser considerada probiótica, necessita ser um micro-organismo que chegue vivo ao TGI, deve aderir a mucosa intestinal e não pode causar doença ao hospedeiro.

- Probióticos da mesma espécie promovem o mesmo benefício?
Mito. Quando se fala em probióticos, cada cepa caracteriza uma ação específica no organismo. Mesmo que a espécie e subespécie sejam as mesmas, a cepa diferencia completamente o benefício.
- A microbiota tem um importante papel na saúde do individuo?
 
Verdade. Aproximadamente um quilo do total do peso corporal corresponde a bactérias. Elas habitam o nosso trato gastrintestinal e produzem, por exemplo, vit B12, vit K, ácido fólico, biotina e etc. Porém, algumas bactérias patogênicas podem produzir substâncias carcinogênicas, principalmente naqueles indivíduos com trânsito intestinal lento, que não consomem fibras, e por isso não possuem substrato para proliferar as bactérias boas para proteger a mucosa.

- A microbiota interfere na imunidade?

Verdade. O trato gastrintestinal é o órgão com maior superfície de contato com o meio externo, 70% das nossas células de defesa encontram-se no intestino. Por isso, a microbiota pode trazer inúmeros benefícios para a manutenção da defesa do organismo e interferir na imunidade. No intestino possuímos células especializadas na proteção do organismo e que reconhecem a superfície externa das bactérias. Se a bactéria for um probiótico, as células vão identificar como micro-organismo benéfico, sem ativar resposta agressiva. Se for uma Salmonella, por exemplo, a resposta será agressiva para eliminar a bactéria patogênica.

- Uma vez estabelecida a microbiota, ela permanece inalterada ao longo da vida?
 Mito. Cada organismo possui um tipo de assinatura da microbiota. No nascimento se inicia constituição da microbiota, que se forma durante os primeiros meses do período de lactação. Porém, existem outros fatores que interferem na modulação da microbiota, como stress, má alimentação, medicamentos, contaminantes de alimentos, aditivos, hormônios. Estes fatores interferem na microbiota, que pode se modificar ao longo da vida.

- O consumo de probióticos deve ser apenas por um período até que se obtenha o benefício?
 
Mito. A microbiota pode sofrer algumas alterações ao longo da vida e, por isso, é importante o consumo frequente de probióticos para a manutenção do equilíbrio da microbiota. Os probióticos alcançam o lúmen intestinal e aderem à mucosa. Porém, devido aos movimentos intestinais, perdem-se aos poucos tais bactérias. Por isso, o consumo de probióticos deve ser constante para a manifestação dos seus benefícios.

- O alimento ao qual o probiótico está inserido interfere na sua ação?
 
Verdade. O alimento interfere sim, vários estudos mostram que a matriz em que o probiótico está inserido é importante. A matriz preferencial é a láctea, na qual existem substratos para fermentação para que se produzam as substâncias que conferem benefícios. A matriz láctea é a preferencial por causa de suas características: como substrato, pH favorável, e por ser veículo de probióticos de fácil inserção na dieta para que seu consumo seja frequente.

- Os iogurtes podem ser considerados probióticos já que contem bactérias provenientes da fermentação?
 
Mito. As bactérias que fermentam o iogurte normal não são consideradas probióticas, pois não chegam vivas ao intestino. Por isso nem todo iogurte pode ser probiótico, tem q ser adicionado das bactérias que chegam vivas ao trato gastrintestinal para conferir o benefício.

- O consumo de alimentos probióticos pode representar algum risco a saúde?
 
Em pessoas saudáveis, o alimento não causará algum risco. Para indivíduos não saudáveis, deve-se categorizar o grau de gravidade da doença. Imunodeprimidos gravemente inflamados em alto grau de crise, não devem ser suplementados com este tipo de alimento. Mas existem algumas situações, como os casos de diarréia, que o L. casei defensis pode ser eficiente na melhora dos pacientes que tomaram probióticos.

  A mesa foi conduzida pela nutricionista Olga Maria Amâncio, presidente do CRN3, e como debatedores o Dr. Dan L. Waitzberg, presidente do GANEP e a nutricionista Ana Paula Wolf Tasca, coordenadora da força tarefa de funcionais do ILSI Brasil.

Acesso em 08/07/2010

Decreto que cria Plano Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional será publicado em Agosto

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Segue abaixo artigo publicado no Conselho Federal de Nutrição em 23 de junho sobre a assinatura em agosto do decreto que  cria o Plano Nacional de SEGURANÇA ALIMENTAR. Este Decreto definirá o papel dos 3  entes da federeção na gestão dos programas e instituir o Plano Nacional de SEGURANÇA ALIMENTAR 

 "O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, deve assinar, em agosto, o decreto que cria o Plano Nacional de SEGURANÇA ALIMENTAR. O anúncio foi feito nesta terça-feira (22) pelo secretário Nacional de SEGURANÇA ALIMENTAR e Nutricional do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Crispim Moreira.

"O decreto irá definir papéis dos três entes da federação na gestão dos programas, vai instituir o Plano Nacional de SEGURANÇA ALIMENTAR que conterá conjuntos de metas e ações para os diversos ministérios e apontar formas de financiamento dos programas", afirmou Moreira durante o 1º Colóquio sobre SEGURANÇA ALIMENTAR e Nutricional no Brasil e na América Latina.

O presidente do Conselho Nacional de SEGURANÇA ALIMENTAR (CONSEA), Renato Maluf, destacou a importância de se trabalhar a SEGURANÇA ALIMENTAR tendo como princípio o direito humano à ALIMENTAÇÃO e a soberania alimentar. Segundo ele, apesar de grandes avanços, o país ainda carece de uma política nessa área.

Crispim destacou várias ações do governo que promovem a SEGURANÇA ALIMENTAR e nutricional como o Programa Bolsa Família, a Aquisição de ALIMENTOS da Agricultura Familiar, a Rede de Equipamentos Públicos de ALIMENTAÇÃO e NUTRIÇÃO e o Programa de ALIMENTAÇÃO Escolar.

O representante regional da Organização das Nações Unidas para Agricultura e ALIMENTAÇÃO (FAO) para América Latina e Caribe, José Graziano da Silva, disse que as legislações sobre SEGURANÇA ALIMENTAR na América Latina e Caribe são muito recentes. "Apenas o Brasil tem leis que não sejam federais", destacou, salientando a importância de se trabalhar a questão de forma regional.

Graziano afirmou também que o país avançou pouco na educação alimentar e nutricional. "Hoje temos um problema de OBESIDADE sério entre as crianças."
Acesso em 5 de julho de 2010

Nutrigenômica e Nutrigenética

sexta-feira, 2 de julho de 2010

 Segue abaixo parte do texto elaborado pela nutricionista  Viviane Sant’Anna do Departamento Científico da VP Consultoria Nutricional. Neste texto podemos identificar as diferenças entre Nutrigenômica e Nutrigenética termos utilizados atualmente na nutrição e que foi um dos temas do CONBRAN ( Congresso Brasileiro de Nutrição de 2010)



O Projeto Genoma Humano, identificou cerca de 30000 genes, e assim começou se a associar a presença/ ausência de ativação de determinados genes nos indivíduos como possíveis causas de algumas enfermidades crônicas, como aterosclerose, hipertensão arterial, diabetes, câncer e infarto do miocárdio.

Ambiente

Nas últimas décadas, comprovou-se também, que o ambiente interferia na atividade desses genes, o que se denominou por fenótipo, ou seja, a relação entre o ambiente pode determinar a expressão gênica. Entre os fatores ambientais que podem determinar a ativação ou inibição de genes, estão:
  • A exposição à radiação solar, 
  • A substâncias mutagênicas e outros xenobióticos, como o tabaco; 
  • A alimentação e a prática ou não de atividade física.


 Nutrigenômica

Com o reconhecimento de que a alimentação (nutrientes/ compostos bioativos) apresenta a habilidade de interagir e regular mecanismos moleculares levando o organismo a ter suas funções fisiológicas melhores ocasionou-se uma revolução na área da Nutrição e deu origem à ciência da Nutrigenômica.

A Nutrigenômica pode ser assim definida, como o estudo da interação entre a expressão do gene e os nutrientes e tem por objetivo determinar como a nutrição afeta as variações genéticas e os eventos epigenéticos (qualquer modificação no funcionamento do DNA sem alterar a sua seqüência, modificação esta que pode se manter até duas gerações).

Nutrigenética

Paralelamente a esses estudos surge outro termo no ramo da Nutrição, a Nutrigenética, que mesmo sendo utilizado por muitos como sinônimo de Nutrigenômica, esses conceitos diferem entre si.

A Nutrigenética investiga como as variações genéticas diferem em resposta a nutrientes específicos e eventualmente levam a diferentes estados de saúde e doença entre os indivíduos, enquanto a Nutrigenômica estuda a interação dieta-gene, como descrito anteriormente.

O surgimento dessas duas ciências contribuiu de forma significante para o entendimento de alguns princípios básicos da ciência da Nutrição Funcional, como o da individualidade bioquímica, que determina que cada ser é único e responde de forma diferente aos componentes da dieta, ou seja, um determinado alimento pode ser benéfico para um indivíduo e causar efeitos opostos em outro. 

Também, por meio da identificação do seqüenciamento de genes e de suas funções, vários estudos têm se empenhado em determinar quais genes estão mais ativados em indivíduos com uma mesma doença e qual a relação da alimentação no quadro, o que em um futuro não muito distante poderá ser utilizado pelos Nutricionistas para prescrição de uma dieta individualizada, levando em consideração o metabolismo e as condições fisiológicas de cada indivíduo.

Veja o texto na integra : http://www.vponline.com.br/blog/?p=109 acesso em 2 de julho de 2010
 

2009 ·Nutry Up by TNB